BLOG

 

Complexo do Baú – São Bento do Sapucaí

22 de janeiro de 2021 • Destinos • POR Daniela Marin
Complexo do Baú
22 jan

Já que o assunto é Ecoturismo, falar do Complexo do Baú é quase uma unanimidade por aqui!! Sem dúvidas temos outros lugares fantásticos em todo o Vale e Serra, mas considero o Baú um dos principais.

Vocês já sabem que moramos no Vale do Paraíba, uma região abençoada, cercada pela Serra da Mantiqueira e Serra do Mar, né? Ou seja, estamos pertinho da praia e da montanha!!!.

O chamado Complexo do Baú é um imponente conjunto de rochas encravado na Serra da Mantiqueira, no município de São Bento do Sapucaí, dentro dos limites da APA Sapucaí-Mirim….sim, São Bento e não Campos do Jordão como muitos pensam…rsrs

Ele se destaca demais nessa paisagem e é possível observá-lo de diversos municípios da região e também de Minas Gerais. É um monumento geológico com ponto culminante a 1950 metros de altitude em meio a uma exuberante Mata Atlântica.

Pra quem não conhece ainda, ele é formado por três cumes, sendo a estrela principal a Pedra do Baú, além de suas irmãs Bauzinho e Ana Chata. Todo o Complexo do Baú vem sendo estruturado e hoje é um Parque Estadual, o MONA (Monumento Natural Estadual) Pedra do Baú, que possui diversas trilhas, vias para escalada, rapel, vida selvagem e paisagens impressionantes.

Se você busca contato com a Natureza, esse é um dos destinos que mais recomendo por aqui…..mais adiante vou falar das trilhas para se chegar no topo das 3 pedras.

Localização do Complexo do Baú

Como falei, o Complexo do Baú está dentro dos limites de São Bento do Sapucaí, que faz divisa com Campos do Jordão e Gonçalves (MG), entre outros municípios. Pra quem vem de São Paulo, são aproximadamente 200 quilômetros de distância pelas BR-116(Dutra), SP-383 (Floriano Rodrigues Pinheiro), SP-046 e SP-042.

Nós saímos de São José dos Campos, então vamos “por dentro”..rsrs…SP-50 e SP-042. A entrada Oficial do Parque fica na Estrada Municipal do Bauzinho, s/n – Bairro Paiol.

A cidade possui boas opções de hospedagem, assim como as diversas cidades vizinhas a ela….isso será tema de um post específico sobre São Bento do Sapucaí que a Dani vai preparar pra vocês.

Dicas de trilha

Bem, antes de falar sobre as pedras do Complexo do Baú, gostaria de passar algumas dicas básicas para trilhas, caso você não esteja acostumado. Caso você seja experiente, leia do mesmo jeito…rsrs

A primeira recomendação é sobre contratar ou não um guia…acho que vai de cada um. Fazemos sempre sozinhos…mas caso você não se sinta à vontade ou tenha algum receio de se perder ou coisa parecida, indico fortemente contratar um guia, principalmente para a Pedra do Baú.

Outra dica é: leve o necessário em sua mochila (água, lanche, boné, câmera, celular, protetor solar, óculos de sol, agasalho, saco plástico para lixo)…são trilhas para um bate e volta e não precisa de muita coisa. Ahhh, não é permitido acampar pelo Parque.

Recomendo que você use roupas leves e confortáveis, botas e meias de trilha…vá por mim, isso vai ajudar durante e depois da trilha. Aconselho ir acompanhado ou avisar alguém para onde está indo…além disso, respeite seu ritmo, seus limites….e acima de tudo, PRESERVE A NATUREZA!!!!

Outro ponto muito importante: evitar períodos chuvosos que podem atrapalhar o passeio, além de aumentar os riscos. Indico visitar durante a “Temporada de Montanhismo”, que coincide com a época de estiagem e frio!! Frio e montanha combinam demais.

E agora que vocês já sabem onde é e como chegar, bora trilhar??

Bauzinho (a mais tranquila do Complexo do Baú)

Como somos da região, já estivemos em São Bento do Sapucaí inúmeras vezes…baita privilégio!!rs

Eu sou uma pessoa que curte muito esse contato com a Natureza, fazer trilhas, contemplar a paisagem e fotografar….a Dani curte tudo isso também…menos fazer trilhas!! Kkkkkk

Sempre que eu posso, “arrasto” ela comigo…fazer aquilo que se gosta com quem se gosta, não tem preço….na verdade tem: cobram 10,00 pra entrar no Parque…mas vale a pena. rsrs

Complexo do Baú Bauzinho

Das 3 pedras do Complexo do Baú só consegui que a Dani fosse comigo no Bauzinho algumas vezes…a primeira vez não tinha nem Parque e guarita ainda…vai vendo!

O Bauzinho tem acesso após o estacionamento do MONA Pedra do Baú, em uma trilha curta, de aproximadamente 1 km em nível fácil e bem sinalizada. No caminho, tem um mirante pra cidade…vale a pena parar.

Pedra do Baú São Bento

Para todas as idades

Após a caminhada rápida, você chega no acesso à Pedra do Bauzinho, uma formação rochosa com aproximadamente 1829 metros de altitude, unida à Pedra do Baú. Tem vários pontos nela onde se pode parar e contemplar o verde da Mata Atlântica. Alguns trechos requer um cuidado básico, pois o caminho pela pedra vai estreitando.

Bauzinho São Bento

A vista é impressionante….você ficará de cara com a Pedra do Baú, mas ela estará “magrinha”, pois é uma vista lateral, que torna ela mais incrível ainda. Esse trecho é muito tranquilo de se fazer sozinho…e para aqueles mais “radicais” é possível chegar mais próximo da Pedra do Baú, na “pontinha” do Bauzinho…não é nada absurdamente radical, mas se você tem medo de altura pode ser complicado. A Dani não foi até a pontinha (rsrs), mas em compensação, fez fotos sensacionais minhas de lá!! Kkkkk

“Roteiro das duas Pedras” – Complexo do Baú

Voltando ao caminho de acesso ao Bauzinho, é possível fazer as trilhas para as outras pedras. Muitas pessoas fazem o Bauzinho e Ana Chata no mesmo dia, no chamado “Roteiro das duas Pedras”, sendo aproximadamente uns 4 quilômetros de caminhada até a Pedra da Ana Chata. Se você não pretende ficar muito tempo na cidade, acaba sendo uma boa pedida.

Complexo do Baú

Complexo do Baú

Se tem algo que gostamos é de fazer esses roteiros em “slow motion”…. só de estar em contato com o verde já é sensacional, seja caminhando, fazendo um lanche ou só admirando…também não quero dizer andar em ritmo de tartaruga..kkk….mas sim, não sair por aí correndo e colecionando pedras, cumes ou livros….por isso, dentro do possível, aproveitamos esses momentos para relaxar e aproveitar o que a natureza nos oferece.

Claro que no caso do Complexo do Baú, pra gente acaba sendo mais fácil..rsrs!! Mas nesse dia acabamos reservando um chalé no bairro do Campestre pra passar o final de semana na cidade, com vista para as Pedras né?? “Cenas” de um próximo post.

Ana Chata

Nome engraçado, que gera algumas explicações, sendo que a folclórica fala sobre uma maldição que atingiu 3 irmãos que moravam no alto da Serra da Mantiqueira. O mais velho, Barão, apaixonou-se pela irmã mais nova, Silvané de rara beleza. A outra era a Ana Chata, que amaldiçoou-os. Entretanto, os três viraram Pedra, sendo Pedra do Baú (Barão), Bauzinho (Silvané) e Ana Chata.

Complexo do Baú

Não fiz essa trilha junto com as demais…como a Dani não foi comigo, chamei um amigo para me acompanhar em uma outra visita à cidade.

Saímos cedo e nos dirigimos direto para o Estacionamento “Chico Bento”, de onde parte a trilha de mesmo nome para a Ana Chata. Não fomos até o parque dessa vez e no caminho para o estacionamento já é possível avistar as pedras, imponentes.

Esse estacionamento é pequeno, para alguns carros apenas e não pagamos nada. Há uma pequena entrada sinalizada para a trilha, com indicações de distância e tempo…me lembro de outras poucas sinalizações durante a caminhada. Eu costumo usar o Wikiloc para me orientar nas trilhas que fazemos e acho que ajuda bastante. De qualquer forma, o caminho é bem demarcado.

Ana Chata Complexo do Baú

A trilha tem uma dificuldade considerada moderada, com uma subida bem puxada no início. Boa parte da caminhada é feita por mata fechada e bem agradável, num total de  aproximadamente 5 quilômetros ida e volta. Levamos para subir quase duas horas num ritmo tranquilo.

Alguém falou morcegos?

Depois de caminhar pela mata, chegamos no pé da pedra e a partir daí a aventura se intensifica…haha…alguns trechos de “escalaminhada”, outros com auxílio de escadas de ferro encravadas na pedra….outros pontos com corrimão para se escorar de frente com o abismo, mas também nada aterrorizante.

Ana Chata Pedra do Baú

Complexo do Baú trilhas

O ponto auge da aventura é quando acessamos uma espécie de caverna, lar de alguns morcegos. Eles passam voando bem perto, afinal, nós somos os intrusos interrompendo seu descanso!! Rsrs

Complexo do Baú

Foto: Paulo Magri

A vista é incrível, no topo dos seus aproximadamente 1770 metros de altitude!!! Visão 360˚ da região…Pedra do Baú vista pelo lado oposto da vista do Bauzinho….dica valiosa: não faça com pressa!! Aprecie a vista. Ficamos lá por um bom tempo, subimos o drone, conhecemos um guia que estava levando um casal “gringo” que ficou maravilhado com aquele lugar…não era pra menos. Havia também um grupo de escaladores, acessando pela via mais complicada!! Rsrs….Acho muito bacana como o Ecoturismo é democrático…o que importa é estar em contato com a Natureza.

Complexo do Baú

Foto: Paulo Magri

Complexo do Baú

Foto: Paulo Magri

Descemos por volta das 14 horas, utilizando o mesmo caminho. Por esse estacionamento é possível acessar as demais pedras também, mas ficou pra próxima!!

Saindo de lá, paramos num restaurante já próximo da cidade….recomendo demais!! Estávamos imundos, mas felizes!! Kkk O melhor dele é a vista para as pedras….longe, bem no alto!! Ali, admirando, vem aquela sensação de conquista….olhar para elas lá em cima e pensar: “Cheguei até o topo…foi muito massa”…de verdade não tem preço!! Era só voltar pra casa de barriga cheia e realizado!!

Pedra do Baú

Aí sim…o mais esperado ficou reservado para o final!!! Rsrs

O convite dessa vez pra fazer a Pedra do Baú veio do meu amigo. Mas a Dani não foi de novo….fisicamente, né? Isso porque há um risco em subir a Pedra sem equipamentos e ela ficou preocupada!! Rsrs

Sim, é arriscado subir sem equipamentos!! Não recomendo. Se você tem noção de escalada e de como usar os equipamentos, leve e use. Nós levamos, mas não usamos…por sorte nada de mal aconteceu, mas desnecessário!! Caso não tenha essa noção, contrate um guia!! Na verdade, desde 2019 está proibido subir sem equipamento ou acompanhamento de guia…mas como fomos em Agosto de 2018, subimos sem problemas.

Complexo do Baú

Fizemos outro bate e volta de São José dos Campos….mesma coisa: saímos cedo porque a ideia é aproveitar o máximo possível lá em cima. Entretanto, fomos até o Restaurante Pedra do Baú, que fica no “pé” dela….ele não estava funcionando, pois era um dia de semana fora da temporada, mas conseguimos deixar o carro lá e não houve cobrança. Vale a pena se informar antes de ir.

De lá, a caminhada para o início da “via ferrata” tem aproximadamente 2 quilômetros de distância, em um nível moderado, com uma boa subida. A trilha é agradável, parte aberta e parte em meio da mata e bem demarcada. Sinalização só no início, ainda no restaurante.

A famosa “Via Ferrata”

Essa via ficou famosa por seu risco e por ser montada num paredão de 340 metros de altura, além de também possuir uma história bacana. Pelo que contam, dois irmãos da cidade de São Bento, conhecidos como “Cortez”, tinham o sonho de subir a Pedra do Baú e acabaram conseguindo atingir o cume no ano de 1940…marco na história da pedra e da cidade. Após esse episódio, a dupla se uniu a um sobrinho de Santos Dumont para a construção da via, no ano de 1943, tudo pelo sonho de ter a vista da pedra com aparência de um baú. Genial!!!

Bem, chegando na “Via ferrata”, a brincadeira começa. Nesse dia conhecemos um trilheiro solo que pretendia subir também. Depois de respirar e descansar da subida, lá fomos nós!! São 600 degraus de grampos e escadas de metal fincados na rocha, num paredão bem vertical. Esse acesso que usamos é conhecido como Via Norte…o outro acesso, Via Sul, foi fechado após alguns deslizamentos, infelizmente.

Pedra do Baú

Foto: Paulo Magri

O início da via é bem tranquilo, não sendo totalmente vertical. A vista que se tem para a Pedra da Ana Chata não tem descrição, até porque estamos acima de seu topo, olhando para ela abaixo de nós. A interação com a natureza e a sensação de liberdade na subida dá muito ânimo para continuar.

“Parada dos medrosos” – Complexo do Baú

Chegando ao ponto conhecido como “Parada dos medrosos”, temos um espaço para descansar sem estar pendurado!! Rsrs Mas também, é onde muita gente desiste, porque ficamos de frente para o trecho final, mais vertical.

Pedra do Baú

Complexo do Baú

Havia alguns grupos indo e vindo pela via, então não tinha como ficar aproveitando muito a vista e a subida…e também a concentração deve ser total…segure firme e apoie bem os pés!! Acho que o medo vai de cada um…eu sentia uma forte adrenalina…a cada degrau batia aquela sensação de conquista, de emoção que só me levavam adiante!!!

Pedra do Baú

Complexo do Báu São Bento

O topo

Não tem como não ficar feliz quando se percebe que está na última subida…você enxerga algumas “cabecinhas” olhando para baixo esperando você subir!! Kkkk Chegar no topo é ter a certeza que toda superação valeu a pena! Baita sensação, viu?? A vista é impressionante…você pode caminhar por quase toda sua extensão. Lá em cima, pare e contemple a Natureza e todo o Complexo do Baú.

Pedra do Baú

Ficamos lá por algum tempo até decidirmos voltar pra casa, já de tarde!! Na descida, encontramos pessoas que desistiram de subir…estavam sem guia e sem equipamentos. Nessa hora, imagino que se eles tivessem contratado um guia teria sido bom. Repito: não recomendo subir sem equipamentos como fizemos!! Superar os limites é bom, mas respeitá-los é imprescindível.

Assim como a trilha do Chico Bento pode levar para as demais pedras, a trilha que se inicia no restaurante Pedra do Baú também. São todas interligadas. E já aproveite para almoçar no restaurante…comida boa e aquela vista frontal da Pedra do Baú, que te faz entender o motivo desse nome.

Complexo do Baú

Pedra do Baú

Os planos agora incluem subir a Pedra do Baú para ver o pôr do sol. Ecoturismo é assim: vicia….esse contato com a natureza, misto de liberdade e adrenalina, e aquela sensação de relaxamento que sentimos, faz querer repetir. Sempre lembrando da responsabilidade ambiental de levar de volta TODO seu lixo, combinado?

Esse texto foi escrito por Samuel Cavalcanti, meu marido, fotógrafo e editor do Blog Prefiro Mochilar.

E você , já fez alguma dessas trilhas do Complexo do Baú?

Já salva esse pin no seu Pinterest

Pinterest Pedra do Baú

Gostaram do roteiro? Alguma dúvida?

Se gostou e quiser me acompanhar mais nas redes sociais, me siga lá no instagram @prefiromochilar  e veja mais fotos e dicas de viagens.

Esse texto faz parte da Blogagem Coletiva com o tema Ecoturismo, veja as dicas dos outros blogs:

Experiência Barbara – A charmosa Praia do Jabaquara em Ilhabela

Classe Turista – Chapada dos Veadeiros: 4 atrações para crianças e idosos

Mariscando – Projeto Tamar: ecoturismo no litoral brasileiro

Você pode se interessar também por:

Roteiro Campos do Jordão: bate e volta de São Paulo

Península de Maraú: paraíso no sul da Bahia!


Compartilhe:

3 Comentários

  1. Barbara Cortat disse:

    Essa trilha é um dos meus sonhos de consumo. No entanto, tenho medo de altura. Só de ler o relato, foi me dando um frio na barriga enorme! Mas toda subida vale a pena e um dia irei desbravar o complexo do baú!!!

  2. Mari Vetrone disse:

    Amei o post, Dani! Que ótimo ter o maridão pra ajudar nos posts! rs Quero muito fazer essa trilha para a Pedra do Baú, mas preciso melhorar meu preparo antes! hahaha beijo!

  3. Luciana disse:

    Cada vista incrível!! Sempre que vamos pra SJC, o maximo que fazemos é ir a Campos… agora já tenho uma outra sugestão de passeio! Obrigada pelas dicas!!!

DEIXE SEU COMENTÁRIO!