BLOG

 

Patagônia Argentina: roteiro completo de 10 dias

16 de fevereiro de 2020 • Destinos • POR Daniela Marin
Perito Moreno Patagônia
16 fev

A Patagônia é uma região que ocupa uma grande área no extremo sul da América do Sul, abrangendo parte dos territórios da Argentina e Chile. A cordilheira dos Andes delimita a fronteira entre os dois países. Ambos os lados possuem atrações imperdíveis para aqueles viajantes que são amantes da natureza e da vida selvagem. Porém, nessa viagem, optamos por explorar somente a Patagônia Argentina.

Conhecida como Fim do Mundo ou Terra do Fogo, a Patagônia Argentina recebe muitos turistas do mundo todo e principalmente brasileiros. O curioso é que, apesar de ter ido algumas vezes para a Argentina, ainda não tínhamos ido conhecer esse espetáculo da natureza. Assim, decidimos que era a hora de desbravar a Patagônia, montando um roteiro que fosse a “nossa cara.”

Fitz Roy Patagônia

Ushuaia Fin del Mundo

Quando ir a Patagônia Argentina

Quando pesquisamos sobre um destino, é indispensável descobrir a melhor época de visitar o local, para evitar surpresas desagradáveis em relação ao clima e até mesmo, para planejar os passeios que serão viáveis ou não. No caso da Patagônia Argentina, essa questão chega ser mais essencial ainda. Ninguém vai querer chegar no fim do mundo e descobrir que não vai conseguir visitar os pontos turísticos mais desejados, né?

No meu caso, eu sabia que não poderia visitar no inverno, porque sinceramente o frio me desagrada muito (não traz felicidade), a minha intenção não era esquiar, nem ver neve e também por saber que as principais trilhas que gostaríamos de fazer não são indicadas nesse período, por risco de nevasca.

Mesmo sabendo que no verão seria alta temporada, ou seja, provavelmente as atrações estariam mais lotadas e tudo seria mais caro (inclusive as passagens aéreas), optamos por conhecer a Patagônia Argentina em janeiro. O verão lá coincide com o nosso aqui no Brasil, portanto, saímos do “calor de matar” daqui para (passar frio) curtir um friozinho com nossos vizinhos los Hermanos.

A melhor época para conhecer a Patagônia é entre Novembro a Março, na primavera e verão, quando o frio é bem menor e os dias mais longos e você encontrará todas as atrações sem restrições.

Perito Moreno Argentina

Canal de Beagle Ushuaia

Como ir a Patagônia Argentina

A Latam e a Aerolíneas Argentinas oferecem voos de São Paulo a Ushuaia ou El Calafate, com parada em Buenos Aires. Você pode optar por fazer o roteiro de Ushuaia primeiro e depois terminar em El Calafate ou vice-versa. Por conta do valor da passagem e também pela estratégia do nosso roteiro (foi a melhor opção, sem dúvidas), nós escolhemos voar para El Calafate primeiro e depois terminar a viagem em Ushuaia.

Não se esqueça que a distância entre Ushuaia e El Calafate é bem longa, quase 900 km. Por isso, compramos o voo interno também entre esses destinos. Na verdade, compramos o ticket múltiplos destinos: São Paulo – El Calafate – Ushuaia – São Paulo. (com conexões em Buenos Aires na ida e na volta, ok?)

Você pode também optar por fazer todo esse trajeto de ônibus. Confesso que dei uma pesquisada para ver se valia a pena. O custo seria muito menor, porém a viagem se torna muito longa e cansativa, com paradas e ainda imigração demorada no Chile, que fica no meio do caminho. Realmente, não queríamos esse tipo de cansaço numa viagem que envolveria muitas trilhas, quase todos os dias do nosso roteiro.

Laguna Esmeralda Patagônia

Glaciar Martial Ushuaia

El Chaltén

Como dito anteriormente, nosso voo foi para El Calafate. Chegamos pela manhã e de lá, alugamos um carro no aeroporto e fomos direto para El Chaltén, que fica a 215km, umas 3 horas de viagem. Tiramos esse dia para pegar leve, pois a conexão em Buenos Aires tinha sido cansativa e ainda teríamos a trilha do Fitz Roy (24km, socorro!) para o dia seguinte.

A ideia era curtir a estrada que proporciona lindas paisagens com o Lago Viedma e Cordilheira dos Andes. Fomos parando pelo caminho e tirando fotos.

Fizemos uma parada também no  Parador La Leona para o almoço (empanadas), considerada uma parada estratégica pelos turistas na estrada.

Chegando na cidade de El Chaltén, fomos direto para a pousada e minha ideia era somente descansar. Porém, com o horário de verão, só anoitecia quase 22h. Como ainda era antes das 16h, decidimos seguir para uma pequena trilha, Sendero Mirador de los Condores,  só para conhecer. Lá em cima ventava muito, muito mesmo. Dica: não fique com seus cabelos livres, leves e soltos por lá. kkkk

El Chalten Argentina

Fitz Roy

O nosso terceiro dia foi totalmente dedicado à  trilha do Fitz Roy. Eu sabia que seria um dos pontos mais importantes do roteiro Patagônia Argentina. Confesso que depois que pesquisei que seriam 24km de caminhada, com uma subida sofrida no final, pensei em desistir. Mas por essa mesma razão, essa trilha se tornou “meta de vida” para meu marido…kkkk (brincadeira, nem tanto). Ou seja, eu tinha que ir…

Além disso, a trilha do Fitz Roy é considerada uma das principais atrações da Patagônia. Eu não poderia ir para lá e não fazer essa trilha.  Eu até poderia, mas é claro que meu marido não permitiria essa insanidade. 😛

No final, tudo vale a pena! Dizem que “cada um terá a vista da montanha que subir”. Se chorei ou se sofri, o importante é que a trilha do Fitz Roy, eu subi….kkkkkkkkkk

Trilha Fitz Roy Patagonia

El Calafate

Na minha opinião, El Calafate (digo o Perito Moreno) é o lugar mais imprescindível da Patagônia Argentina. Tipo ir a Roma e visitar o Coliseu, tipo ir para a Capadócia e andar de balão, enfim… era o lugar que eu mais esperava. Na verdade, era a razão da viagem. Já que eu ia para o fim do mundo, como deixar a geleira de fora?

A cidade é muito fofa, super turística e extremamente preparada para receber seus visitantes. Nós reservamos um hostel super bem localizado, com quarto e banheiro privado, praticamente do lado da avenida principal (Avenida Libertador). As principais atrações são:  Parque Nacional los Glaciares (visitar as passarelas), Mini Trekking Perito Moreno, Lago Argentino, Rios de Hielo, Laguna Nimez Reserva Natural e Estância Cristina.

Glaciar Perito Moreno

Perito Moreno Argentina

Perito Moreno: o melhor da Patagônia Argentina

Como nós tínhamos alugado um carro para ir para El Chaltén, aproveitamos e fizemos o check out bem cedo da pousada e seguimos de volta para El Calafate. Fomos diretamente para o Parque Nacional los Glaciares para fazer as passarelas e ver o Glaciar Perito Moreno, sem pressa, sem hora para voltar. Sabíamos que teríamos essa oportunidade de andar pelas passarelas no mesmo dia do minitrekking, mas como tour costuma ser corrido, queríamos ter a chance de curtir esse momento e apreciar com calma (e tirar milhões de fotos, claro!), mesmo tendo que pagar a entrada do parque dois dias seguidos. (no segundo dia, se você apresentar o ticket anterior, só paga metade, fica a dica! :P)

Passarelas Perito Moreno

Perito Moreno

Minitrekking Perito Moreno

Apesar de tentarmos fazer tudo de forma o mais independente possível, o minitrekking não seria possível. Então, reservamos o passeio de forma antecipada ainda do Brasil, com medo de se esgotarem as vagas, já que o passeio conta com um número limitado de visitantes por dia.

O tour dura o dia todo e vale muito a pena! O passeio começa com uma parada nas passarelas para ver o Glaciar Perito Moreno dali dos mirantes. Essa parte é bem corrida, dura somente 1h, e te garanto que é bem pouco para apreciar essa maravilha. Nós ficamos bem satisfeitos de ter conhecido um dia antes e ficamos somente curtindo e apreciando, enquanto os turistas ficavam tirando fotos de maneira desesperada tentando aproveitar o curto tempo que tínhamos ali.

Depois, seguimos para a navegação que te leva para o ponto de partida para o tão esperado minitrekking na geleira.

Minitrekking Perito Moreno

Perito Moreno minitrekking

Ushuaia

No dia seguinte, depois de uma manhã tranquila passeando pelas ruas de El Calafate, voamos para Ushuaia pela tarde.

A Terra do Fogo, na Patagônia Argentina, é um local que atrai aqueles que curtem uma boa aventura e não abrem mão do desafio de conhecer novas paisagens naturais mesmo sob um frio mais intenso. (o pior é o vento!)

Em Ushuaia, optamos por ficar num hotel econômico, bem na avenida principal,  por 5 noites. Logo que chegamos, alugamos um carro no aeroporto e seguimos para conhecer a tão famosa Estação de Trem do Fim do Mundo. Já tinha pesquisado e decidido que não faríamos esse passeio, pois o custo benefício para nosso gosto e roteiro era mínimo (passeio caro e mega “turistão”). No entanto, como estávamos de carro, resolvemos pelo menos dar uma passadinha lá para visitar a estação. Os dias que se seguiram foram dedicados aos principais passeios da região, respectivamente: trilha Laguna Esmeralda (fizemos por conta), Pinguinera (navegação pelo Canal de Beagle, incluindo a caminhada com pinguins na Isla Martillo), trilha Glaciar Martial (fizemos por conta) e Parque Nacional Tierra del Fuego (fizemos por conta novamente).

Com exceção do tour Pinguinera (feito com a agência Pira tour), todos os outros passeios você consegue fazer por conta, seja alugando um carro, pegando as vans que operam entre os pontos turísticos ou até mesmo em táxi. Há quem prefira fazer excursão ou tour organizado, porém acho que essa opção somente é a melhor durante o inverno, onde a neve pode dificultar a trilha. Do contrário, na minha opinião, não há nada melhor do que cumprir seu roteiro com liberdade de horário, além de economizar, né?

Nos próximos posts vou detalhar cada parte do nosso roteiro Patagônia Argentina!

Canal de Beagle Ushuaia

Tour Pinguinera

Trilha Laguna Esmeralda

Resumo do Roteiro Patagônia Argentina

Dia 1: conexão longa em Buenos Aires (aproveitamos e fomos a um pub em Palermo)

Dia 2: El Chaltén (mirador de Los Condores)

Dia 3: Trilha Fitz Roy (24 km, é bom frisar!:P)

Dia 4: El Calafate (passarelas Perito Moreno)

Dia 5: Minitrekking Perito Moreno (tour o dia todo)

Dia 6: Cidade de El Calafate pela manhã e voo para Ushuaia

Dia 7: Trilha Laguna Esmeralda (10 km)

Dia 8: Pinguinera (Canal de Beagle e Isla Martillo):  tour o dia todo

Dia 9: Trilha Glaciar Martial (7 km)

Dia 10: Parque Nacional Tierra del Fuego

Dia 11: voo de retorno para Brasil (conexão mais curta em Buenos Aires)

Pinguim Isla Martillo

Gostaram do roteiro? Alguma dúvida?

Se gostou e quiser me acompanhar mais nas redes sociais, me siga lá no instagram @prefiromochilar  e veja mais fotos e dicas de viagens.

Vai Viajar? Já tem Seguro Viagem?

Nunca embarque para o exterior sem seu Seguro Viagem em mãos, eu mesma já tive intoxicação alimentar mais de uma vez, na Bolívia e em Cuba. O seguro é essencial não só nesse caso, como em vários outros.

Nosso blog tem parcerias com:

Seguros Promo (5% de desconto)

Real Seguro (10% de desconto)

Salve esse pin no seu Pinterest

Pinterest prefiro mochilar


Compartilhe:

3 Comentários

  1. Soraia Pereira disse:

    Que roteiro delicioso e completo! Dani! Me deu vontade de conhecer! 🤩

  2. Fernanda disse:

    Eu tenho muita vontade de conhecer a Patagônia! Depois desse post fiquei com mais vontade ainda!

  3. Samuel disse:

    Sensacional!! Fotos lindas!!

DEIXE SEU COMENTÁRIO!